Colmeia

Espaço arejado e limpo, onda a baixaria não entra
 
InícioPortalCalendárioFAQBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 Ginjinha

Ir em baixo 
AutorMensagem
Romy

avatar

Mensagens : 5711
Data de inscrição : 23/08/2008

MensagemAssunto: Ginjinha   Ter Mar 31, 2009 11:01 am

.
Ginjinha



Ingredientes

1 kg de ginjas

750 gramas de açúcar mascavado

1 litro de aguardente



Preparação


1. Escolha as ginjas vermelhas e ácidas.

2. Tire-lhes o pé, limpe com um pano, deite-as na aguardente, em frascos de boca larga.

3. Tape bem, envolva a rolha de vidro num pano e ponha o frasco numa varanda ao sol 1 ou 2 meses, até que o açúcar derreta inteiramente.

4. Vá mexendo uma vez por semana, para evitar que o açúcar se deposite no fundo.

Notas:

- Quanto mais tempo em infusão, mais apurado será o paladar.
- Em Trás-os-Montes, era comum colocarem-se as ginjas (nas devidas proporções) com o açucar em garrafões, que se "esqueciam" por muito tempo(um ano e mais), mas tendo o cuidado de ir juntando aguardente, de quando em quando.




Ginja ou cereja ácida (Prunus cerasus)



Ginja clara e Ginja escura

Ginja ou cereja ácida (Prunus cerasus), também conhecida como amarena, é uma espécie do género Prunus, pertencendo ao subgénero Cerasus (cereja), nativo de grande parte da Europa e do sudoeste asiático. É um parente próximo da cereja Prunus avium, também conhecida como cereja-doce, mas o seu fruto é mais ácido, sendo útil principalmente para fins culinários.

A árvore é menor que a da cereja-doce, alcançando entre 4 a 10 metros de altura. A cor do fruto varia entre o vermelho e o preto, desenvolvendo-se em ramos mais curtos.


Ginja

Cultivo e utilizações

As ginjas cultivadas foram seleccionadas a partir de espécimes selvagens de Prunus cerasus e da dubitavelmente distinta P. acida dos mares Cáspio e Negro, sendo já conhecidas pelos gregos no ano 300 AC. Eram muito populares entre os romanos, que as espalharam por diversos pontos do seu império, entre os quais a Grã-Bretanha, no século I.

No século XV, a ginja era já um fruto comum em Portugal, sendo usada para diversos fins medicinais. Por altura de 1755, existiam em Lisboa estabelecimentos que vendiam ginjas mergulhadas em aguardente, bebida que mais tarde viria a ficar conhecida como ginjinha.

Na Grã-Bretanha, o seu cultivo tornou-se popular no século XVI devido a Henrique VIII. Existem registos de mais de duas dúzias de cultivares deste tipo de cereja em 1640, na região de Kent. Nas Américas, os primeiros colonos de Massachusetts plantaram a primeira ginja quando chegaram.



Em meados do século XIX, eram cultivadas ginjas no Brasil, na região de São Paulo.

Antes da segunda guerra mundial, existiam mais de 50 cultivares de ginja em produção na Inglaterra. Hoje, porém, poucos são cultivados para comercialização. E, apesar da continuação das variedades Kentish Red, Amarelles, Griottes e Flamenga, apenas a genérica Morello é oferecida pela maior parte das plantações. Esta variedade floresce tardiamente, evitando a maior parte das geadas, o que a torna uma colheita mais fiável. Amadurece entre meados e fins do Verão, por volta do fim de Agosto, na Inglaterra.


Ginjeira florida

As ginjas requerem condições de cultivo semelhantes às das pêras, ou seja, preferem um solo rico, escorrido e húmido, apesar de necessitarem de mais nitrogénio e água que as cerejas doces. Também sofrem menos de pragas e doenças que as cerejas doces, apesar de os pássaros poderem consumir uma parte considerável dos frutos. Durante o Verão, os frutos devem ser protegidos por redes. Ao serem colhidas, devem ser cortadas da árvore, para evitar partir os ramos ao puxar. A variedade Morello resiste bem à congelação, mantendo o seu sabor intacto.

Ao contrário da maior parte das variedades de cerejas doces, as ginjas produzem pólen para si mesmas, o que significa serem necessárias populações de polinizadores bastante mais pequenas, dado que o pólen só necessita ser transportado dentro de uma dada flor. Em áreas de escassez de polinizadores, a criação de colmeias perto dos campos pode constituir uma ajuda para melhorar as colheitas.


Ginja em calda

Algumas variedades são utilizadas na produção de Kriek, um tipo de cerveja oriundo da Bélgica. A Schaarbeekse krieken é uma dessas variedades, podendo ser encontrada na região de Bruxelas. "Kriek" significa precisamente "ginja", no neerlandês flamengo falado na Bélgica (nos Países Baixos, a ginja é conhecida por zure kers ou morel).

In Wikipédia
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Romy

avatar

Mensagens : 5711
Data de inscrição : 23/08/2008

MensagemAssunto: Tarte de presunto e cebolas   Ter Mar 31, 2009 11:37 am

.
Tarte de presunto e cebolas



Tarte de Presunto e Cebolas

Para a massa

200 grs. de farinha de trigo
2 colheres de sopa de banha
1/2 colher de chá de sal fino
1,5 dl de leite morno
10 grs. de fermento de padeiro
margarina q.b.


Para o recheio

6 cebolas grandes
150 grs. de queijo fresco batido
3 ovos
100 grs. de margarina
4 dl de natas
1 colher de sopa de amido de milho
150 grs. de presunto
150 grs. de fiambre
3 colheres de chá de manjerona picada
sal q.b.
pimenta q.b.


Desfaça o fermento de padeiro num pouco de leite morno.

Numa tigela, amasse bem a farinha com a banha o fermento desfeito, o sal e o leite morno, tape-a com um plástico e deixe levedar à temperatura ambiente.

Entretanto, corte as cebolas em meias luas não muito finas, e leve a refogar na margarina. Junte o fiambre e o presunto cortado aos cubos e deixe refogar mais um pouco.

Estenda a massa numa superfície enfarinhada e forre com ela uma tarteira de fundo amovível, untada com margarina e ponha por cima o refogado das cebolas.

Misture bem o queijo batido, as natas, o amido de milho, os ovos a manjerona picada sal e pimenta e deite por cima da cebola.

Leve a cozer em forno moderado (200ºC) previamente aquecido cerca de + ou- 30 a 40 minutos.

Sirva decorada com flores de azeitonas recheadas com pimentos.

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
 
Ginjinha
Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Colmeia :: Gastronomia :: Regional-
Ir para: