Colmeia

Espaço arejado e limpo, onda a baixaria não entra
 
InícioPortalCalendárioFAQBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 Vilar de Perdizes

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Fantômas

avatar

Mensagens : 5780
Data de inscrição : 12/09/2008

MensagemAssunto: Vilar de Perdizes   Sab Nov 01, 2008 6:12 pm

.
Vilar de Perdizes
Montalegre


Jantar «embruxado» na capital da bruxaria

A capital da bruxaria em Portugal é, sem dúvida, a aldeia de Vilar de Perdizes, no concelho de Montalegre, onde, anualmente, se realiza a popular Feira do Oculto.

Aqui, tambem o Halloween não poderia passar em branco e, hoje à noite, esta data será devidamente assinalada com um jantar «embruxado», seguido de teatro de rua orquestrado pela companhia Filandorra.

Para terminar a noite, a Associação de Defesa do Património e a Junta de Freguesia de Vilar de Perdizes prepararam uma queimada no centro da aldeia.

, 2008-10-31
In DTM

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Fantômas

avatar

Mensagens : 5780
Data de inscrição : 12/09/2008

MensagemAssunto: Congresso místico começou hoje em Vilar de Perdizes   Sab Set 05, 2009 10:29 pm

.
Congresso místico começou hoje em Vilar de Perdizes



Congresso de Medicina Popular
Montalegre


O misticismo está de regresso, a partir de hoje, a Vilar de Perdizes em mais um congresso de Medicina Popular onde, 23 anos passados, começam as interrogações sobre o que será da iniciativa depois do Padre Fontes.

\"Logo que o padre Fontes falte, o congresso poderá sofrer. Será um congresso, mas falta-lhe lá a alma\", afirmou, em declarações à Lusa, Barroso da Fonte.

O escritor natural do concelho do misticismo, Montalegre, faz nesta edição uma retrospectiva dos congressos que têm no seu impulsionador, o padre Fontes, \"o principal fenómeno\".

\"Só com as características dele - a simplicidade, a bondade, o trajar - era possível transformar uma coisa que parecia à partida ridícula num fenómeno colectivo\", considerou.

Não só no congresso, mas durante todo o ano, forasteiros deslocam-se a Vilar de Perdizes para ver o padre Fontes, que na opinião de Barroso da Fonte, \"fez mais pelo concelho do que o turismo oficial\".

\"Transformou-se numa romaria anual\", disse o escritor referindo-se ao congresso que apesar das polémicas tem conseguido reunir gente de todos os quadrantes e credos, desde \"catedráticos, médicos e psicólogos a padres e bispos\", como costuma dizer o padre Fontes.

Mesmo marcado pela doença, o padre Fontes continua a estar presente na iniciativa que este ano decorre até domingo.

Barroso da Fonte, co-autor do livro \"Usos e Costumes do Barroso\", que escreveu com o padre Fontes, acredita que o novo espaço-museu que homenageia o impulsionador do congresso de Medicina Popular será um estímulo para que os barrosões façam tudo por este projecto.

Lusa, 2009-09-04
In DTM

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Romy

avatar

Mensagens : 5711
Data de inscrição : 23/08/2008

MensagemAssunto: O «padre das bruxas»   Dom Nov 15, 2009 3:12 pm

.
O «padre das bruxas»
Montalegre




O pároco António Fontes de Montalegre revela os meandros do oculto: a vila celebra a noite das Bruxas

Já é longa a tradição em Montalegre, distrito de Vila Real, de festejar todas as «Sextas-feiras 13». Esta sexta-feira não é excepção e o tvi24.pt dá-lhe a conhecer o padre Fontes, um homem das «ciências do oculto», mas que está preocupado em desmistificar as crenças erradas sobre a cultura popular.

Para celebrar a tradição da Sexta-feira 13 está prevista uma peça de teatro, em que os actores que encarnam bruxas, duendes e demónios, que vão assombrar a vila, são idosos e crianças do concelho. A «Festa das Bruxas» conta ainda com a participação do Padre António Fontes.

Em conversa com o tvi24.pt,o padre António Fontes, que é também um dos principais dinamizadores do Congresso de Medicina Popular em Vilar de Perdizes, revelou que o objectivo desta festa é desmistificar as ideias erradas das pessoas acerca da cultura popular, como o mau-olhado, bruxedo entre outras.

«Estas festividades vão ao encontro de tentar contrariar os conceitos falsos destas crenças, há que evoluir, abrir mentalidades», explicou.

A inveja não tem poder

Padre Fontes vai mais longe e esclarece «que o mal só existe na cabeça das pessoas, a inveja não tem poder, faz mal sim, às pessoas que acreditam que estão sob esse mal», apontou.

O pároco explicou ainda que há também quem faça negócio com os males dos outros. «Há quem se aproveite das fragilidades das pessoas e faça negócio em colocar na cabeça de quem os procura que têm este ou aquele mal. O problema está também nas mentalidades retrógradas de quem procura o oculto para resolver os seus males», adiantou.

O conselheiro

Este homem, de que tanto se tem falado um pouco por todo o lado, tornou-se conselheiro de muitos e há quem considere que é exorcista, mas o próprio revela que «nunca fez isso».

«Eu apenas actuo com diálogos psicológicos, interpreto as palavras de quem me procura e só com a força das minhas palavras tento mostrar o caminho da verdade», pois, o poder é nosso», explicou ao tvi24.pt.

A Igreja Católica, não vê com bons olhos o seu envolvimento com actividades profanas e ao oculto, mas isso nunca foi motivo para desistir de abrir a sua porta a quem precisava de auxílio na resolução de problemas pessoais.

«Eles pensam que sou um charlatão como os outros, mas eu nunca pedi nada em troca por aquilo que fiz. Bem sei que há quem tenha a capacidade de curar, existe a cura pelas mãos, pelas palavras, pelos olhos, pelas massagens», afirmou.

O padre aponta ainda que o «exorcismo é uma farsa, uma representação entre o actor e o espectador. Eu não acredito em bruxas, nem em feitiços, nem sequer no diabo, acredito sim no poder das palavras». O Padre Fontes tem pena que ninguém siga os seus passos, que a sociedade recuse esta actividade, mas como diz «estou-me a marimbar para isso».

Porém, o padre Fontes confidenciou que desistiu de «andar nesta vida», já há dois anos, motivado principalmente pela sua doença de Parkinson que foi agravada pela sua intensa actividade. Apesar da incapacidade que o perturba, assume que mesmo assim, continua a celebrar missa em quatro paróquias todas as semanas.

Neste momento, recusa receber as pessoas, «todos os dias insistem que fale com elas e que as encaminhe, mas eu estou cansado e doente, exclamou.

O problema é que quem me procurava, criou uma dependência estavam sempre aqui, esse é o mal, a minha função era encaminha-las e não proporcionar essa ligação», explicou.

Ainda assim, este homem que esteve sempre ligado à dinamização da sua região, pela criação de postos de trabalho é uma figura de muito prestígio para aquela população.

IOL, 2009-11-14
In DTM

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Romy

avatar

Mensagens : 5711
Data de inscrição : 23/08/2008

MensagemAssunto: Vida do padre Fontes contada em DVD   Qua Mar 10, 2010 1:07 pm

.
Fontes é uma figura incontornável
Montalegre


Vida do padre Fontes contada em DVD

As memórias da escola primária, do seminário, da primeira paróquia, da primeira motorizada, do primeiro carro...A vida do Padre Fontes deu um DVD. O documentário foi apresentado, domingo, em Vilar de Perdizes, e vai ser comercializado.

\"Era muito bom rapaz, muito inteligente... passou da primeira para a terceira classe\". \"Dona Laura\" foi a professora primária de António Fontes na escola de Cambezes, Montalegre. As aulas tinham lugar no primeiro andar do edifício. No rés-do-chã, dormia o boi do povo. Quantas vezes António e os companheiros, do patamar das escadas, viram o boi cobrir as vacas da aldeia. A vida do padre Fontes \"desde que nasceu até hoje\", foi condensada num DVD. O documentário, de 50 minutos, foi apresentado ontem, em Vilar de Perdizes, no âmbito de uma homenagem ao pároco, pela passagem dos seus 70 anos, recentemente cumpridos. De acordo com o autor do filme, Luís Costa Ribeiro, a ideia é agora comercializar o DVD a nível nacional.

Antes da exibição do filme, houve um almoço. \"É sinal que estou vivo. As pessoas lembraram-se do padre!\", comentava, satisfeito, o pároco, antes de se sentar na primeira fila da sala do café.

No ecrã, a vida do padre passava a um ritmo alucinante, ora relatada pelo próprio, ora vista aos olhos de outros: amigos, colegas, historiadores... \"É um homem pronto para tudo. Visão larga, não se acomoda à matéria\", define-o Monsenhor Minhava. Fontes conta, no filme, que quis ir para o seminário porque queira ter um rádio como o padre da aldeia; que tirou a carta de condução em Ourense \"porque era mais fácil\"; que \"inventava patrões\" para que toda a gente tivesse acesso ao abono de família, pois, por lei, só poderiam receber os empregados por conta de outrém...

\"O padre Fontes é uma figura incontornável que deve ser constantemente homenageada por todos\", resume o vereador da Cultura, Orlando Alves.

JN, 2010-03-10
In DTM

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Fantômas

avatar

Mensagens : 5780
Data de inscrição : 12/09/2008

MensagemAssunto: Sexta-feira 13 «esconjurada em Montalegre   Dom Ago 15, 2010 10:42 am

.
«Yo no creo en brujas»
Montalegre



Sexta-feira 13 «esconjurada em Montalegre

A sexta-feira 13 é o dia de azar, pelo menos é assim popularmente conhecida. Quando começou esta crença? A resposta para esta pergunta não é simples.

Existem várias teorias, desde a versão de que foi nesse dia que o rei de França classificou a Ordem dos Templários como ilegal, ou que Jesus Cristo terá sido morto numa fatídica sexta-feira 13, segundo o calendário hebraico. Existem mais teorias, mas o facto é que é sempre um dia temido. Ou melhor, era, pelo menos pelas bandas de Montalegre, onde passou a ser sinónimo de festa.

Esta tradição começou há alguns anos e tem origem num homem da Igreja.

Foi numa pequena aldeia da capital do misticismo, como a autarquia se apelida, que tudo começou.

O padre Fontes criou uma pequena feira na aldeia de Vilar de Perdizes que de repente se tornou um sucesso. De 1983, a primeira edição da feira, até aos dias de hoje, a Feira e Congresso de Medicina Popular tornou-se ponto de referência para os amantes do misticismo.

Desde as mais populares mezinhas até às leituras de mãos, tudo passa por Vilar de Perdizes, tornando-se num cartaz conhecido em todo o país, e que todos os anos arrasta para Montalegre milhares de visitantes.

Usando a seu favor o facto de Montalegre estar já associado ao misticismo, há cerca de dez anos, o padre Fontes teve a ideia de festejar a sexta-feira treze. Para isso, foi buscar uma tradição à vizinha Espanha: a queimada, uma bebida que tem por base o aguardente e açúcar.

O padre Fontes incentivou os restaurantes locais a decorarem os seus espaços de acordo com o tema. Sal derramado na mesa, escadas à entrada dos locais obrigando as pessoas a passar por baixo, talheres cruzados e tudo o que estivesse relacionado com o azar e o misticismo.

No final da noite, as pessoas eram convidadas a reunir numa praça da vila, em redor de um grande pote colocado em cima de uma fogueira, onde o padre Fontes ia colocando os ingredientes da queimada ao mesmo tempo que recitava o Esconjuro.

De um início mais temido até aos grandes festejos de hoje em dia, foi um pequeno passo.
A autarquia acolheu a ideia e de então para cá¡, todas as sextas-feiras 13, ou como é conhecida, a Noite das Bruxas, milhares de pessoas se dirigem a Montalegre, vestidas a preceito, para comemorar a data.

Para esta próxima sexta-feira, a autarquia promete um espectáculo \"mágico\", que vai contar com mais de trezentos figurantes, fogo de artifício e muita animação. O menu nos cerca de cinquenta restaurantes e bares locais também é especial e o concelho decora-se a rigor.

São esperados cerca de 30 mil visitantes, mas o ponto alto será sempre quando o padre Fontes fizer o seu Esconjuro:

\"Mouros, corujas, sapos e bruxas. Demónios, duendes e diabos, espíritos dos nevoeiros. Corvos, salamandras e meigas, feitiços das curandeiras. Troncos podres e furados, lugar de vermes. Fogo das Guerras Santas, negros morcegos; Cheiro dos mortos, trovões e raios. Orelha de cão, pregão da morte; Focinho de rato e pata de coelho.
Pecadora língua de mulher má casada com homem velho. Casa de Satanás e Belzebu, fogo dos cadáveres ardentes; Corpos mutilados de ignescentes, peidos de cus infernais
Bramido do mar bravo; Barriga inútil de mulher solteira; Miar de gatos que andam à solta. Guedelha suja de cabra mal parida. Com este fole levantarei as chamas deste lume
que se assemelha ao do inferno E fugirão as bruxas a cavalo das suas vassouras indo-se banhar na praia das areias gordas. Oiçam! Oiçam os ruídos que fazem as que não podem deixar de queimar-se na aguardente ficando assim purificadas. E quando este preparo, passar pelas nossas goelas, ficaremos livres dos males da nossa alma e de todo o embruxamento. Forças do ar, terra, mar e lume! A vós faço a chamada: Se é verdade que tendes mais força que a humana gente, aqui e agora, fazei com que os espíritos dos amigos que estão fora, participem connosco nesta Queimada\".

Yo no creo en brujas pero que las hay, las hay!

Sónia Domingues, Sapo, 2010-08-13
In DTM

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Admin
Admin
avatar

Mensagens : 6697
Data de inscrição : 22/08/2008

MensagemAssunto: Re: Vilar de Perdizes   Sab Set 11, 2010 2:49 pm

.




Laughing Laughing Laughing

_________________
Os amigos? Perto! Os inimigos?Colados!!!!!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://colmeia.forumeiros.com
Admin
Admin
avatar

Mensagens : 6697
Data de inscrição : 22/08/2008

MensagemAssunto: XXV Congresso Vilar Perdizes    Ter Set 06, 2011 12:15 pm

.
XXV Congresso Vilar Perdizes
Montalegre



Queimada no «parabéns a você» ao Congresso

O bater de palmas ecoou em Vilar de Perdizes e centenas de pessoas apagaram as 25 velas que, simbolicamente, assinalaram o aniversário do Congresso de Medicina Popular. Cor e alegria num cozinhado ao qual os presentes tiveram oportunidade de vibrar ao som de concertinas e assistir à encenação em volta da \"queimada\" esconjurada pelo padre Fontes.

Numa noite ameaçada pela chuva, na qual pouco se fez notar, um leque considerável de curiosos marcou presença em mais um rol de atividades inseridas no sumário do XXV Congresso de Medicina Popular, em Vilar de Perdizes. O dinamismo do certame é pautado pela facilidade de, num espaço comum, ser possível encontrar um lote distinto de ações, muitas vezes em simultâneo. Assim, cada um tem a possibilidade de estar onde melhor se enquadrar, sempre dentro da mesma diretriz.
No espaço reservado ao debate foi possível assistir à apresentação do livro \"Trás-os-Montes e Alto Douro – Mosaico de Ciência e Cultura\". Ainda pudemos ouvir um testemunho de vida por Maria Feliz. Rodriguez Colmonero apresentou uma perspetiva da saúde em Vilar de Perdizes desde a pré-história. Frei Hermínio Araújo explorou a temática \"Rituais dos afetos e a saúde espiritual\". João Azenha, representante do polo do Ecomuseu de Barroso em Salto, teceu comentários sobre \"papas, filhoses e a festa de S. Sebastião\".

DEUS LAROUCO

Num ângulo diferente, em espaço aberto, muitos populares faziam roda em torno de tocadores de concertinas, com palmas e cantares tradicionais. A dado momento da noite saiu, numa só voz, o canto dos parabéns ao Congresso de Medicina Popular de Vilar de Perdizes. Um aglomerado de gente ficou concentrado perto do coração do evento onde, em uníssono, brotaram vozes numa encenação dirigida pelo grupo de teatro Filandorra. Foi com \"Deus Larouco\" que as ordens foram dadas no acender das 25 velas, seguradas em círculo, de onde saiu um bolo de aniversário. Com o padre Fontes em palco e adereçado a rigor, centenas de pessoas entoaram a melodia ao \"aniversariante\" ao qual não escondeu a satisfação resumida com estas palavras: «Foi muito bonito e emotivo».

QUEIMADA PARA TODOS

Depois das velas apagadas, o momento ansiado por muitos: a \"queimada\". Com esconjuro proferido pelo padre Fontes, foi protagonizado mais um momento alto da noite. O público correu em massa para os pontos onde estava a ser servida a bebida que «limpa todos os males» onde ninguém quis ir embora sem a degustar.

, 2011-09-06
In DTM


_________________
Os amigos? Perto! Os inimigos?Colados!!!!!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://colmeia.forumeiros.com
Romy

avatar

Mensagens : 5711
Data de inscrição : 23/08/2008

MensagemAssunto: Congresso de Medicina Popular comemora 25 anos e continua a impulsionar o desenvolvimento da região   Ter Set 06, 2011 12:23 pm

.
Vilar de Perdizes
Montalegre



Congresso de Medicina Popular comemora 25 anos e continua a impulsionar o desenvolvimento da região

O Congresso de Medicina Popular de Vilar de Perdizes, em Montalegre, celebra a partir de quinta-feira 25 anos de existência, que lhe permitiram tornar-se num dos cartazes de maior visibilidade do concelho, ao juntar o sagrado ao profano.

O padre Fontes, impulsionador do congresso, em entrevista à agência Lusa, realçou que a longevidade e resistência do certame demonstra que ele é hoje uma “aposta ganha”, pelo que o balanço destes 25 anos é “extremamente positivo”.

António Fontes nasceu em Cambeses do Rio, Montalegre, a 22 de fevereiro de 1940, e ingressou no Seminário de Vila Real em 1950, tendo saído em 1960. Após três anos, em 1963, foi ordenado sacerdote.

O padre lembrou que organizar o congresso em Vilar de Perdizes foi uma forma de aproveitar as potencialidades, as tradições, a cultura e os saberes das gentes da aldeia que estavam a “cair em desuso”.

Em 1983, disse, ao realizar o primeiro certame quis alertar as pessoas para a importância de preservar a cultura popular e os conhecimentos locais, nomeadamente no campo da ervanária.

“Em Vilar de Perdizes toda a gente é curandeiro de si próprio, da sua família, dos seus amigos e vizinhos com o conhecimento que tem da terra, da natureza e das plantas”, realçou o sacerdote.

Segundo António Fontes, o evento também deu aos “jovens” médicos a possibilidade de contactar com a medicina natural, aquela que não se aprende nas universidades, para que “não envergonhassem ou ridicularizassem o cidadão que diz que foi à bruxa ou andou a tomar um chá para determinada d or”.

O congresso tornou-se, desde cedo, para o clérigo, uma oportunidade para “dar a conhecer” o Barroso, as suas paisagens, tradições, gastronomia e gentes.

Além disso, ressalvou, abriu a região “à civilização” proporcionando aos habitantes locais conhecer “outras formas de vida” tornando-os “mais conscientes” do valor da identidade e cultura local.

“Antigamente, as pessoas tinham vergonha de ser transmontanas, de vestirem e falarem de maneira diferente e o congresso ensinou-lhes a orgulharem-se da sua cultura tão própria”, salientou o padre.

Após 25 anos, o propósito da atividade mantém-se atual porque, segundo o sacerdote, continua a dar a conhecer às pessoas a importância da medicina popular, da região de Trás-os-Montes e do poder das ervas medicinais no combate a doenças.

Atualmente, salientou António Fontes, existem na aldeia “uma série” de restaurantes, cafés, residenciais e hotéis rurais criados “a reboque” do congresso.

Além do alojamento, adiantou, “hoje, a maioria das pessoas tem como part-time a venda de ervas medicinais e licores porque o congresso mostrou-lhes que as ervas têm potencialidades e valor comercial”.

O padre Fontes acredita que a junção do sagrado com o profano funcionou como “chamariz”, tal como o facto de ser um padre a impulsionar esta atividade.

Frisa que “o objetivo do congresso é separar o trigo do joio, mas tal tem de ser feita pelos visitantes que têm de decidir a quem dar credibilidade”.

, 2011-09-06
In DTM

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Admin
Admin
avatar

Mensagens : 6697
Data de inscrição : 22/08/2008

MensagemAssunto: Aldeia mítica vai ser invadida por bruxas e diabos   Dom Out 30, 2011 6:01 pm

.
Aldeia mítica vai ser invadida por bruxas e diabos

por Lusa
Hoje

A aldeia de Vilar de Perdizes, em Montalegre, vai encher-se na segunda-feira de personagens bizarras como bruxas, diabos e mafarricos, para comemorar o Halloween, num alegre hino à bruxaria.

Vilar de Perdizes, terra do misticismo, comemora o "Dia de Halloween" há quatro anos como forma de "dar vida" à aldeia, atrair visitantes e potenciar a economia local.

A presidente da Associação de Defesa do Património de Vilar de Perdizes, Fátima Crespo, revelou hoje à Lusa que os restaurantes e albergarias da povoação transmontana estão "praticamente lotados".

Por isso, acredita que o contexto de crise atual não vá afetar o evento, nem diminuir o número de visitantes.

A responsável frisou ainda que acorrem a Vilar de Perdizes pessoas de norte a sul do país para assistir e passar uma noite "mágica" porque é um evento " muito curioso e diferente".

Os moradores decoram as suas casas e estabelecimentos comerciais com abóboras iluminadas para assinalar a data.

Na segunda-feira, a partir das 17.00 horas, estará ao dispor do público um conjunto de oficinas alusivas ao tema "caracterização e adereços", "música e som" e "construção de vassouras".

Os restaurantes de Vilar de Perdizes, decorados com motivos ligados ao azar, têm preparado um jantar "endiabrado" que promete "deliciar" e "assustar" os convivas com animação a cargo do grupo de teatro Filandorra.

No final do jantar, segue-se um cortejo "embruxado" com os participantes a viverem situações inesperadas com a presença de personagens ocultas à luz de velas a provocar muitos percalços e sustos.

No final do desfile pelas ruas, será eleita "a melhor bruxa", "o melhor diabo", "o melhor mafarrico" e "a melhor máscara".

O ponto alto do "Dia de Halloween" termina com a realização da tradicional queimada do padre Fontes, licor à base de aguardente, canela e maçã com efeitos, alegadamente, "esconjurativos de todos os males".

Noite dentro, realizar-se-á um baile de bruxos.

In DN


_________________
Os amigos? Perto! Os inimigos?Colados!!!!!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://colmeia.forumeiros.com
Fantômas

avatar

Mensagens : 5780
Data de inscrição : 12/09/2008

MensagemAssunto: Aldeia mítica de Vilar de Perdizes vai ser invadida por bruxas e diabos   Qua Nov 02, 2011 11:04 am

.
Para comemorar o Halloween
Montalegre



Aldeia mítica de Vilar de Perdizes vai ser invadida por bruxas e diabos

A aldeia de Vilar de Perdizes, em Montalegre, vai encher-se na segunda-feira de personagens bizarras como bruxas, diabos e mafarricos, para comemorar o Halloween, num alegre hino à bruxaria.

Vilar de Perdizes, terra do misticismo, comemora o «Dia de Halloween» há quatro anos como forma de «dar vida» à aldeia, atrair visitantes e potenciar a economia local.

A presidente da Associação de Defesa do Património de Vilar de Perdizes, Fátima Crespo, revelou hoje à Lusa que os restaurantes e albergarias da povoação transmontana estão \"praticamente lotados\".

Por isso, acredita que o contexto de crise atual não vá afetar o evento, nem diminuir o número de visitantes.

A responsável frisou ainda que acorrem a Vilar de Perdizes pessoas de norte a sul do país para assistir e passar uma noite \"mágica\" porque é um evento \" muito curioso e diferente\".

Os moradores decoram as suas casas e estabelecimentos comerciais com abóboras iluminadas para assinalar a data.

Na segunda-feira, a partir das 17:00 horas, estará ao dispor do público um conjunto de oficinas alusivas ao tema \"caracterização e adereços\", \"música e som\" e \"construção de vassouras\".

Os restaurantes de Vilar de Perdizes, decorados com motivos ligados ao azar, têm preparado um jantar \"endiabrado\" que promete \"deliciar\" e \"assustar\" os convivas com animação a cargo do grupo de teatro Filandorra.

No final do jantar, segue-se um cortejo \"embruxado\" com os participantes a viverem situações inesperadas com a presença de personagens ocultas à luz de velas a provocar muitos percalços e sustos.

No final do desfile pelas ruas, será eleita \"a melhor bruxa\", \"o melhor diabo\", \"o melhor mafarrico\" e \"a melhor máscara\".

O ponto alto do \"Dia de Halloween\" termina com a realização da tradicional queimada do padre Fontes, licor à base de aguardente, canela e maçã com efeitos, alegadamente, \"esconjurativos de todos os males\".

Noite dentro, realizar-se-á um baile de bruxos.

Lusa, 2011-10-30
In DTM

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Romy

avatar

Mensagens : 5711
Data de inscrição : 23/08/2008

MensagemAssunto: Deputados de Vila Real defendem condecoração do padre Fontes   Seg Jun 04, 2012 4:46 pm

.
Mais do que justo
Montalegre



Deputados de Vila Real defendem condecoração do padre Fontes

Os deputados do PS e PSD de Vila Real solicitaram ao Presidente da República, Cavaco Silva, que o padre Fontes, impulsionador do Congresso de Medicina Popular e Noite das Bruxas, em Montalegre, seja condecorado com a Ordem de Mérito.

A iniciativa partiu dos socialistas, nomeadamente do deputado Rui Santos, à qual se associaram os representantes do PSD de Vila Real, em conjunto com 11 outros deputados, entre os quais, os ex-ministros António Serrano e Gabriela Canavilhas.

Em comunicado enviado esta sexta-feira à Lusa, os deputados referem que o padre Fontes deve ser distinguido com um dos graus das Ordens Honoríficas Portuguesas pelas actividades que desenvolveu em prol do povo transmontano, da sua cultura e tradições.

«O padre Fontes tornou-se num português de referência, um exemplo de luta em prol das tradições sociais e culturais transmontanas e do mundo rural, pelo que a sua prestação meritória ao longo da vida deve agora ser homenageada», lê-se no documento.

O sacerdote é a alma de duas «grandes» iniciativas de divulgação e animação cultural de Montalegre: Noite das Bruxas, que acontece todas as «sextas-feiras 13» do ano, e o Congresso de Medicina Popular, em Setembro, em Vilar de Perdizes.

António Lourenço Fontes, mais conhecido por padre Fontes, nasceu a 22 de Fevereiro de 1940, em Cambezes do Rio, Montalegre.

, 2012-06-04
In DTM

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
RMaria

avatar

Mensagens : 2761
Data de inscrição : 26/08/2010

MensagemAssunto: Congresso de Medicina Popular impulsionou a criação de restaurantes, hospedarias e padarias   Sab Set 01, 2012 4:51 pm

.
Vilar de Perdizes
Montalegre



Congresso de Medicina Popular impulsionou a criação de restaurantes, hospedarias e padarias

As 25 edições já registadas do Congresso de Medicina Popular de Vilar de Perdizes, em Montalegre, trouxeram «a reboque» a criação de restaurantes, hospedarias, padarias, produtores de licores, chás, compotas e, até, uma discoteca.

A aldeia de Trás-os-Montes, que acolhe a partir de hoje a 26ª edição do congresso, é atualmente uma localidade de pequenos mas importantes negócios para as suas gentes, que aliam a sabedoria popular à terra, ervanária e crença.

O congresso trouxe alguma modernidade a Vilar de Perdizes, mas não multibanco, por isso, quem visitar a aldeia entre hoje e domingo terá de trazer dinheiro ou percorrer 17 quilómetros até Montalegre.

O presidente da junta de freguesia, João dos Santos, explicou à agência Lusa que já tentou instalar um multibanco, mas sem sucesso.

E, advertiu: quem vier ao congresso tem de vir \"prevenido\".

Apesar de reconhecer a visibilidade que o evento trouxe à aldeia, o responsável frisou que, nos primeiros anos, o movimento de pessoas era \"bem maior\".

\"Hoje, está isto mais fraco\", disse.

Ana Martins, proprietária de um dos três restaurantes existentes, revelou ter preparada uma \"ementa especial\" com pratos típicos para os visitantes.

O congresso, realçou, foi \"uma maravilha\" para a aldeia e, graças ao evento, muita gente criou o seu próprio negócio.

À espera de \"casa cheia\", Ana Martins reconhece \"todo o mérito\" ao padre Fontes, mas considerou que está na hora de \"gente nova da terra\" pegar na organização para que o congresso perdure.

Guiomar Bernardes, dona de uma hospedaria/restaurante, revelou ter \"lotação esgotada\".

O evento, entendeu, colocou Vilar de Perdizes no mapa de Portugal, mas a aldeia tem ainda muitas potencialidades por aproveitar.

Por isso, acrescentou, se as pessoas fossem mais organizadas e dinâmicas poderiam \"ganhar muito mais\".

O congresso potenciou em Isabel Pita, produtora de licores, compotas e chás, o gosto pela medicina tradicional e a criação de um \"pequeno negócio\".

Os produtos não servem, explicou, apenas para \"adoçar a boca\", mas têm fins medicinais.

Isabel Pita referiu que, apesar de \"o forte\" do negócio ser no congresso, durante o ano há já pessoas a deslocar-se à aldeia para comprar chás e licores.

A população reconhece que o congresso já não é o que era, mas continua entusiasmada pelo movimento de carros e gente.

Rosa Coimbra, de 87 anos, acompanha o evento desde o seu nascimento e afirmou, em tom de brincadeira, \"Vilar de Perdizes é conhecida como a terra das bruxas, mas a verdade é que elas vêm todas de fora\".

E relatou uma situação vivida no evento: \"há muitos anos, fui a um endireita para arranjar as costas, mas não me fez nada. Se mal andava, mal fiquei\".

Na tenda de José Rodrigues dos Santos vende-se desde louças em barro, artesanato, mel e as tradicionais bruxinhas de chapéu alto e vassoura.

O congresso de Medicina Tradicional arranca hoje e prolonga-se até domingo com 40 stands de videntes, endireitas, médiuns, astrólogos, ervanárias, bruxos ou cartomantes.

Há ainda massagens, licores afrodisíacos, ervas medicinais e palestras.

Lusa, 2012-08-30
In DTM

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Romy

avatar

Mensagens : 5711
Data de inscrição : 23/08/2008

MensagemAssunto: Videntes e médiuns prometem curas em Vilar de Perdizes   Ter Set 04, 2012 11:43 am

.
26ª edição
Montalegre




Videntes e médiuns prometem curas em Vilar de Perdizes

Trinta profissionais do oculto mostraram, as artes do tarot, cartomancia e astrologia no Congresso de Medicina Popular de Vilar de Perdizes, em Montalegre, organizado pelo padre António Fontes, conhecido por «Dom Bruxo».

Durante quatro dias, a aldeia de Trás-os-Montes transforma-se na «capital do misticismo», com a presença de videntes, médiuns, astrólogos, ervanárias, endireitas, bruxos e tarólogos, para discutir os problemas que inquietam os portugueses.

O evento oferecerá ainda aos visitantes massagens, ervas para os males do corpo e da alma, licores afrodisíacos, fotografias da aura e sessões de hipnose regressiva.

Além disso, um misto de investigadores, médicos, especialistas de medicinas alternativas e doenças da mente e do espírito debatem temas como o exorcismo, dietas, medicina tradicional chinesa, técnicas de massagens e poder curativo das plantas.

Na abertura do evento, este ano a celebrar a sua 26ª edição, o padre António Fontes relembrou que o sucesso do congresso está no ditado popular «o fruto proibido é o mais apetecido».

E, acredita o pároco, é no facto de abordar temas relacionados com o oculto e o místico, condenáveis pela igreja, ciência e poder, que o congresso resiste há 26 anos nos mesmos moldes.

«As ciências ocultas e o desconhecido atraem gente», frisou.

O «pai e alma» do congresso referiu ainda que a distinção entre a verdade e a mentira deverá ser feita pelos visitantes pois, disse, há «muitos vendedores» de falsas soluções.

A biografia do mentor do projecto, escrita por João Sanches, psicólogo e docente universitário, vai ser lançada no sábado e revela o cepticismo do padre Fontes quanto às aparições em Fátima.

Em declarações à Lusa, o sacerdote frisou que a igreja não obriga ninguém a acreditar nas visões de quem quer que seja.

«Depois da Bíblia só acredita no resto quem quer. A Bíblia é o sumo de toda a verdade e na qual devemos acreditar», disse.

O sacerdote explica que não acredita nas visões de ninguém, apesar de as compreender, porque para se ser cristão não é necessário crer nas aparições.

O vereador da Cultura da Câmara de Montalegre, Orlando Alves, reafirmou que a vulgarização e descredibilização do congresso poderiam ser evitadas se se realizasse de dois em dois anos e com um novo modelo.

Mas, afirmou, essa alteração tem de ser feita pelo mentor do projecto.

A 26ª edição do Congresso de Medicina Popular, que encerra domingo, trouxe «a reboque» a criação de restaurantes, hospedarias, padarias e produtores de licores, chás e compotas na aldeia.


Lusa, 2012-09-03
In DTM

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Fantômas

avatar

Mensagens : 5780
Data de inscrição : 12/09/2008

MensagemAssunto: Videntes, cartomantes e bruxos de regresso a Vilar de Perdizes   Dom Set 08, 2013 2:22 pm

.
Congresso de Medicina Popular
Montalegre


Videntes, cartomantes e bruxos de regresso a Vilar de Perdizes


O Congresso de Medicina Popular de Vilar de Perdizes, em Montalegre, organizado desde 1983 pelo padre António Fontes, arranca esta quinta-feira com videntes, cartomantes e bruxos com promessas de cura para o corpo, para a alma e para a crise.

Durante quatro dias, a aldeia de Trás-os-Montes, no distrito de Vila Real, transforma-se na "capital do misticismo" com 20 "profissionais do oculto" a oferecerem massagens, ervas para os males, licores afrodisíacos, fotografias da aura e sessões de hipnose regressiva.

Além disso, um misto de investigadores, especialistas de medicinas alternativas e doenças da mente e do espírito debatem temas como o exorcismo, tanatologia, reumatismo, ataques de pânico, medicinas alternativas e novas plantas medicinais.

O mentor do congresso, o padre Fontes, conhecido por "Dom Bruxo", revelou à Lusa que, este ano, e pela primeira vez, haverá artesões de Vilar de Perdizes a trabalhar ao "vivo" nas ruas.

"Queremos envolver as pessoas no evento para que divulguem as suas artes e, daí, tirem proveito económico com a vinda de visitantes de norte a sul do país", afirmou.

A criação de restaurantes, hospedarias, padarias, produtores de licores, chás, compotas e, até, uma discoteca na aldeia são conquistas do congresso, mas o padre quer "mais".

O congresso, que conta 27 edições em 30 anos, resiste, na opinião do pároco, devido à curiosidade e fascínio dos portugueses pelos temas do oculto e do místico condenáveis pela igreja, ciência e poder.

As pessoas que vêm a Vilar de Perdizes, explicou, fazem-no à procura de respostas a problemas de saúde aos quais a ciência, por vezes, não apresenta soluções.

"Não é só a ciência que cura. A religião e a ervanária também curam se as pessoas tiverem crença", realçou.

Apesar de cansado pela idade e pela doença, o padre Fontes revelou que não quer deixar encerrar a escola da medicina popular, dos chás e das ervas, que abriu há três décadas.

, 2013-09-06
In DTM

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Fantômas

avatar

Mensagens : 5780
Data de inscrição : 12/09/2008

MensagemAssunto: Vilar de Perdizes oferece busto a padre Fontes   Dom Set 08, 2013 2:30 pm

,
Congresso de Medicina Popular
Montalegre



Vilar de Perdizes oferece busto a padre Fontes

O Congresso de Medicina Popular de Vilar de Perdizes, em Montalegre, criado em 1983, vai inaugurar um busto em homenagem ao seu mentor, padre António Fontes, feito por um jovem da aldeia com tantos anos quantos os do evento.

O busto em granito do padre, conhecido por “Dom Bruxo”, colocado no centro da aldeia de Vilar de Perdizes, tem assinatura de Celestino André, técnico de cantaria artística, explicou fonte ligada à organização deste congresso que hoje inicia a 27.ª edição em 30 anos.

O autor da obra, a trabalhar numa empresa de transformação de granito em Montalegre, foi desafiado, em julho, pela Associação de Defesa do Património de Vilar de Perdizes, a esculpir numa pedra o padre Fontes, com 74 anos, pelo mérito de tirar, ano após ano, a aldeia do anonimato.

“Quando me pediram o busto fiquei muito lisonjeado, mas igualmente nervoso por se tratar de uma figura tão emblemática como o padre Fontes”, contou Celestino André à agência Lusa.

Classificando o trabalho como “um dos seus maiores desafios”, o artista, que nunca tinha feito um busto antes, demorou “cerca de três semanas” a ter a obra pronta.

“Depois de terminado, sempre que olhava para o busto, achava que era preciso retocar algum pormenor”, disse.

Socorrendo-se de “várias” fotos para esculpir o rosto do sacerdote, Celestino André confessou que “mais difícil” foi passar para a pedra os olhos, o nariz e as rugas.

O padre Fontes, que só deveria ver o busto no dia da sua inauguração, fez “batota” porque, reconheceu, a curiosidade era “mais que muita”.

“Estou surpreendido e satisfeito com o resultado final porque estou reconhecível”, afirmou António Fontes à agência Lusa.

Ao autor da obra, o padre apontou, em tom de brincadeira, que o lábio estava “ligeiramente” caído, mas que o defeito era seu e não do artista.

Além de estar representado no busto em pedra, o padre tem ainda uma estátua em cera no Ecomuseu do Barroso – Espaço Padre Fontes, homenagem prestada pela Câmara de Montalegre por projetar o nome da região.

O Congresso de Medicina Popular de Vilar de Perdizes arranca hoje e prolonga-se até domingo com a presença de bruxos, cartomantes, videntes e médiuns a oferecerem massagens, ervas para os males do corpo e da alma, licores afrodisíacos, fotografias da aura e sessões de hipnose regressiva.

Além disso, um misto de investigadores, especialistas de medicinas alternativas e doenças da mente e do espírito debatem temas como o exorcismo, tanatologia, reumatismo, ataques de pânico, medicinas alternativas e novas plantas medicinais.

Lusa, 2013-09-06
In DTM

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Romy

avatar

Mensagens : 5711
Data de inscrição : 23/08/2008

MensagemAssunto: Congresso de Vilar de Perdizes é escola que não pode encerrar - padre Fontes   Qui Set 12, 2013 11:02 pm

.
«Cansado pela idade e pela doença»
Montalegre



Congresso de Vilar de Perdizes é escola que não pode encerrar - padre Fontes

O Congresso de Medicina Popular de Vilar de Perdizes, em Montalegre, que termina hoje, é uma escola que não pode encerrar nunca, considerou à Lusa o seu mentor, padre António Fontes.

"O congresso é uma escola de sabedoria popular que não pode fechar porque é útil, rico e importante", frisou o sacerdote, de 73 anos.

Regra geral, disse, as escolas encerram porque não têm alunos, mas o congresso, que é uma escola da medicina popular, chás e ervas, tem de continuar aberto porque tem gente interessada, divulga o poder e importância das plantas e defende a natureza.

Criado por si em 1983, com o objetivo de divulgar a cultura e sabedoria do Barroso e dar a conhecer a medicina popular e os seus benefícios, o padre António Fontes compara o congresso à "escola da vida" onde o saber e a aprendizagem não se esgotam "nunca".

E, acrescentou, "podemos mesmo transformar Vilar de Perdizes na Rainha da Fitoterapia em Portugal, por isso, o congresso tem pernas para andar".

Cansado pela idade e pela doença de `Parkinson´, o pároco realçou que, este ano, contou com a colaboração da Associação de Defesa do Património de Vilar de Perdizes na organização do evento.

"O envolvimento das pessoas é sinal de que reconhecem ao congresso mérito e importância, pelo que não o querem deixar morrer", salientou.

As gentes desta aldeia de Trás-os-Montes, afirmou o padre, já têm noção que os quatro dias do congresso são os "mais importantes" do ano porque atraem gente e negócio.

"Ainda estão muito encostados a mim, mas, aos poucos, vão pondo a mão na massa", realçou.

Este ano, como forma de agradecer ao padre por ter tirado a aldeia do anonimato, a população de Vilar de Perdizes ofereceu-lhe um busto em granito.

O congresso, que conta 27 edições em 30 anos, tem, na opinião de Fontes, sucesso garantido devido à curiosidade e fascínio dos portugueses pelos temas do oculto e do místico, condenáveis pela igreja, ciência e poder.

As pessoas que vêm a Vilar de Perdizes, explicou, fazem-no à procura de respostas a problemas de saúde aos quais a ciência, por vezes, não apresenta soluções.

"Não é só a ciência que cura. A religião e a ervanária também curam se as pessoas tiverem crença", realçou.

Apesar da crise económica, a "alma" do congresso avançou que, este ano, o balanço é "extremamente positivo" com "mais expositores" do que o previsto e "imensos" visitantes.

Durante quatro dias, Vilar de Perdizes foi local de encontro de bruxos, cartomantes, videntes, astrólogos e exorcistas que ofereceram massagens, ervas para os males, licores afrodisíacos, fotografias da aura e sessões de hipnose regressiva.

Além disso, um misto de investigadores, especialistas de medicinas alternativas e doenças da mente e do espírito debateram temas como o exorcismo, tanatologia, reumatismo, ataques de pânico e novas plantas medicinais.

Lusa, 2013-09-10
In DTM

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Admin
Admin
avatar

Mensagens : 6697
Data de inscrição : 22/08/2008

MensagemAssunto: Primeira sexta-feira 13 de 2013 em Montalegre tem casa cheia   Sab Set 21, 2013 2:44 pm

.
Noite das Bruxas
Montalegre



Primeira sexta-feira 13 de 2013 em Montalegre tem casa cheia

Os hotéis e restaurantes da vila de Montalegre, no distrito de Vila Real, têm casa cheia para a primeira sexta-feira 13 do ano, assim como para a seguinte, a 13 de dezembro, disseram hoje operadores locais do setor.

A Câmara de Montalegre organiza a Noite das Bruxas desde 2002, que decorre todas as sextas-feiras 13, sendo já parte integrante do calendário cultural da região.

Em contagem decrescente para a noite "mais mágica" desta vila de Trás-os-Montes, os 32 restaurantes aderentes ao evento e unidades hoteleiras da "capital do misticismo" têm já lotação esgotada.

Luís Silva, de uma unidade hoteleira local, afirmou hoje à Lusa já ter casa cheia há "vários" meses.

Regra geral, explicou, as pessoas deixam reservas feitas de uma sexta-feira para a outra, mesmo sendo só no ano seguinte.

O hotel preencheu, para as duas sextas-feiras 13 de 2013, todas as vagas não só nas dormidas, mas também nas refeições.

Este evento, na opinião de Luís Silva, é uma "mais-valia" para a economia local.

Maria José Gil, proprietária de um restaurante localizado junto ao castelo, referiu que tem lotação esgotada há mais de um ano.

Para a sexta-feira 13 de dezembro, disse, ainda existem "uns lugares", mas poucos.

"Os clientes deixam marcações de um evento para o outro", avançou.

A Noite das Bruxas foi, segundo a empresária, uma "ótima ideia" porque atrai gente de norte a sul a Montalegre não só nessa noite, mas noutros eventos festivos ao longo do ano.

O restaurante de Maria Ferreira está "repleto" [reservas de mesa esgotadas] há mais de um mês.

"Há pessoas a ligar para marcar, mas já não consigo reservar porque não tenho mais espaço", afirmou, admitindo, no entanto que para a segunda sexta-feira 13 do ano, em dezembro, ainda tem lugares.

Os restaurantes e hotéis malfadados prometem infernizar o jantar dos convivas com "refeições diabólicas" e "seres demoníacos" a atormentá-los.

O programa da Noite das Bruxas conta com um desfile pelas ruas de figuras "do além" e com o espetáculo "Magia da Lua Cheia" junto ao Castelo de Montalegre.

Depois da meia-noite, o padre Fontes, conhecido por "Bruxo-Mor", vai cozinhar a queimada, licor feito à base de aguardente, limão e açúcar, acompanhada por uma ladainha que simboliza a "invocação de tudo quanto é mal".

Para quem acredita, a queimada pode livrar todos os males de "embruxamentos", feitiços e maus-olhados.

Pela noite fora, haverá animação nas ruas, bares e discotecas.

O orçamento para a primeira sexta-feira 13 de 2013 é de 100 mil euros, um investimento que, segundo o presidente da câmara de Montalegre, é feito «sem riscos».

Lusa, 2013-09-16
In DTM


_________________
Os amigos? Perto! Os inimigos?Colados!!!!!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://colmeia.forumeiros.com
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Vilar de Perdizes   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Vilar de Perdizes
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Passeio 4x4 da Junta de Freguesia de Vilar do Pinheiro

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Colmeia :: Cultura :: Diversos-
Ir para: